sábado, abril 13, 2024

Reunião da CONTEC e Fenaban avalia os dois anos de pandemia

Na tarde de sexta-feira (4/3), a comissão de negociação da CONTEC se reuniu por videoconferência com a mesa da FENABAN, para debater medidas para enfrentamento da ômicron, o teletrabalho nos bancos, assim como para fazer um balanço dos 2 anos de pandemia do covid 19. A reunião, por parte dos trabalhadores, foi coordenada pelo presidente da CONTEC, Lourenço Prado, com a participação de federações e sindicatos. E pelo bancos, pelo negociador da FENABAN, Adauto Duarte.

Durante o encontro, o representante da FENABAN, destacou que se tratava da 53ª reunião realizada no período pós pandemia. “Vivenciamos situações adversas que até o momento resultaram em 650 mil óbitos no Brasil”, destacou Adauto. Segundo ele, o balanço de 2 anos é importante primeiramente prestar uma homenagem a todos os bancários e dirigentes que se expuseram ao vírus e, ainda a todos os líderes sindicais que trabalharam ativamente para levar informações às bases e proteger os bancários neste período. “Foram milhares de vidas que não vieram a óbito graças a atuação e dedicação destes líderes”, frizou.

Para o negociador da FENABAN, a pandemia do coronavírus entrou para a história do movimento sindical bancário como o “processo mais complexo e mais efetivo de negociação”. Ele disse acreditar que o país está entrando num momento de maior conforto em virtude de medidas de proteção adotadas em todo o país. “As pessoas acreditam nas medidas e presenciamos um nível de vacinação muito elevado. O Brasil hoje está melhor do que vários países em taxa de vacinação”, elogiou.

O presidente da CONTEC, Lourenço Prado, destacou a importância da vacinação em todos os continentes, e externou a preocupação sobre o banco anunciar que a partir do dia 11 de março não haverá mais o fechamento de agências para sanitização. “Contamos que dê tudo certo, mas acreditamos ser um risco ainda não mantermos os protocolos”, avaliou. Ele ainda destacou a importância das reuniões sobre os cuidados com a saúde do trabalhador, assim como a postura dos bancos de acolher as reinvindicações do movimento sindical neste momento pandêmico.

O presidente da FEEB GO/TO, Sérgio Luiz da Costa, prestou sua solidariedade ao povo ucraniano, aos companheiros bancários e repudiou as atividades do governo russo que está ocasionando uma crise econômica mundial. Também demostrou sua preocupação quanto ao fechamento das agências e comentou que devemos vencer juntos essa pandemia independente dos protocolos. Sugeriu a criação de um modelo de conduta mínima de segurança dentro dos bancos.

Questionado pela representação de bancários sobre o fornecimento de vacina contra a gripe por parte dos bancos, o Dr. Adauto se comprometeu a fornecer as vacinas este ano enfatizando que o setor bancário é o único setor que dá vacina de gripe para todos os trabalhadores.

escrito por Assessoria Renata

Últimas Notícias

AGU vai usar inteligência artificial para revisar benefício negado pelo INSS, diz Messias

Um novo projeto prevê que a Advocacia-Geral da União, por meio de uma programa de inteligência artificial, revise uma negativa do INSS a um...

ONU adota primeira resolução global sobre inteligência artificial

A Assembleia Geral das Nações Unidas adotou nesta quinta-feira (21), por unanimidade, a primeira resolução global sobre inteligência artificial para incentivar a proteção de...

Trabalho forçado e exploração sexual movimentam mais de R$ 1 bi por ano em todo o mundo, diz relatório da OIT

A exploração sexual é uma atividade ilegal, execrável, visada, mas muito lucrativa. E responde por uma parcela significativa dos casos de...

Declaração pré-preenchida do IR 2024 começa em 15 de março

A declaração pré-preenchida do Imposto de Renda 2024, ano-calendário 2023, vai ser liberada pela Receita Federal a partir de 15 de março, quando...

Câmara aprova projeto que isenta de IR quem ganha até 2 salários mínimos

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira (12) um projeto de lei que isenta de Imposto de Renda quem ganha até...