terça-feira, dezembro 6, 2022

PIX é aprovado pelo Banco Central; conheça o novo sistema de pagamentos

Novidade permitirá o envio e recebimento de dinheiro em tempo real; novo sistema começa a funcionar em 16 de novembro (Davi Medeiros, editado por Fabiana Rolfini)

Seis meses se passaram desde que o Banco Central anunciou a criação do PIX, sistema de pagamentos instantâneos pela internet. Na noite de quarta-feira (12) a regulamentação do serviço foi oficialmente aprovada, e seu lançamento ficou marcado para 16 de novembro. O cadastro para utilização do sistema começa em 5 de outubro.

A transferência de dinheiro por meio de TEDs e DOCs é simples, mas apresenta limitações incômodas relacionadas a tempo, taxas e horário.

 – Tempo: Transações entre diferentes instituições financeiras podem levar horas. Isso porque, dependendo do banco, a transferência precisa ser validada por algum funcionário ou passar por procedimentos de segurança, o que atrasa a chegada do dinheiro à conta de destino.
 – Taxas: Além de demorado, o envio de TEDs e DOCs pode custar caro. Bancos digitais costumam oferecer os serviços gratuitamente, mas os clientes desembolsam de R$ 10 a R$ 20 em instituições tradicionais.
 – Horário: Atualmente, as transferências são realizadas somente de segunda à sexta e até um horário limite, que varia entre cada instituição financeira. Passado esse horário, o dinheiro só “cai” na conta no próximo dia útil.

O PIX promete revolucionar a maneira como os brasileiros enviam e recebem dinheiro. Com ele, as transações serão efetuadas em até dez segundos, e poderão ser realizadas a qualquer dia ou horário, incluindo feriados. O custo é praticamente nulo: será cobrado R$ 0,01 a cada 10 transações.

Os pagamentos também mudam. O PIX permitirá a leitura de códigos de barra e QR Codes com compensação instantânea, acabando com a espera de até dois dias úteis para o processamento de boletos.

Como vai funcionar?
A partir de 5 de outubro, todos os bancos e fintechs com mais de 500 mil clientes deverão oferecer a criação de chaves PIX. Por meio delas, os clientes poderão associar suas contas bancárias a um endereço de e-mail, número de telefone ou CPF/CNPJ.

Em novembro, os clientes cadastrados passam a ter o PIX como alternativa para a realização de transações. Estas poderão acontecer entre duas pessoas físicas; entre uma pessoa física e uma jurídica; entre duas pessoas jurídicas; ou direcionadas a entidades governamentais, para pagamento de impostos.

As compras em estabelecimentos que aceitem o PIX poderão ser pagas por meio de QR Codes. Por isso, o novo sistema tem potencial para substituir não apenas TEDs e DOCs, mas também o cartão de débito e até mesmo o dinheiro em espécie.

Afinal, o único impedimento para que isso ocorra hoje é a demora na compensação de pagamentos, problema que será solucionado pelo PIX.

De acordo com o Banco Central, o PIX “trará mais competitividade e eficiência para o mercado de pagamentos, e com ele surgirão muitas oportunidades”.

Fonte: Olhar Digital

Diretoria Executiva da CONTEC

Últimas Notícias

Reunião entre CONTEC e Itaú trata da circular RP-52

Nesta quinta-feira (17), de forma virtual, a COE (Comissão de Organização dos Empregados) ITAÚ-Contec, coordenada pelo diretor da Feeb SC, Eduardo Israel,...

CONTEC e COE Santander debatem futuro bancário

Representantes cobram diálogo entre entidades sindicais e banco, encontro aconteceu em São Paulo Em São Paulo, o presidente da...

Informe Reunião COE Bradesco-CONTEC

O encontro ocorreu na quinta-feira (17), de maneira virtual escrito por Assessoria Sarah 18 de novembro de 2022

Lucro dos bancos sobe 20% e soma R$ 138 bilhões

Dados do Banco Central analisam os 12 meses acumulados até junho de 2022 e comparam ao mesmo período do ano anterior. Alta...

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS

No dia 12 de outubro traga seu filho para viver momentos incríveis. Teremos touro mecânico, futsabão, cama elástica, pipoca,...