quarta-feira, junho 29, 2022

Governo extingue PIS-Pasep e libera R$ 1.045 para saque do FGTS por coronavírus

Medida Provisória foi publicada em edição extra do Diário Oficial no fim da noite.

O governo federal extinguiu o PIS-Pasep e liberou o saque de R$ 1.045 do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) a partir de 15 de junho. Uma medida provisória foi publicada em edição extra do DOU (Diário Oficial da União) no fim da noite de terça-feira (7).

De acordo com a MP, o patrimônio acumulado nas contas individuais dos participantes do Fundo PIS-Pasep fica preservado. O governo estima que há R$ 21 bilhões que não foram resgatados pela população após sucessivas campanhas relacionadas ao fundo.

A ideia do Ministério da Economia é transferir esse montante para dar mais liquidez ao FGTS, que vem sendo usado nos últimos anos para injetar dinheiro na economia e estimular o consumo e quitação de dívidas das famílias.

Os recursos serão transferidos para a conta do FGTS em 31 de maio. De 15 de junho a 31 de dezembro, fica disponível o saque de até R$ 1.045 por trabalhador em razão do enfrentamento do estado de calamidade pública e da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente da pandemia de coronavírus.

Para quem tem mais de uma conta, há uma ordem estabelecida pela MP: primeiro, contas vinculadas relativas a contratos de trabalho extintos, com início pela conta que tiver o menor saldo; depois, as demais contas vinculadas, com início pela conta que tiver o menor saldo.

Os saques serão efetuados conforme cronograma de atendimento, critérios e forma estabelecidos pela Caixa Econômica Federal. Será permitido o crédito automático para conta de depósitos de poupança de titularidade do trabalhador previamente aberta no banco ou o crédito em conta bancária de qualquer instituição financeira indicada pelo trabalhador, desde que seja de sua titularidade. A transferência para outro banco será gratuita.

Como se trata de uma medida provisória, a operação tem aplicação imediata, mas precisa ser aprovada pelo Congresso em 120 dias. Diante da crise da Covid-19, o Congresso editou um ato para que as MPs tenham um rito mais rápido no Legislativo durante este período, de apenas 16 dias.

Também nesta terça, o governo publicou edição extra do Diário Oficial com o decreto que regulamenta a operação do pagamento do auxílio emergencial de R$ 600. O programa com custo de R$ 98,2 bilhões deve atender 54 milhões de pessoas.

Fonte: Folha de SP

Diretoria Executiva da CONTEC

Últimas Notícias

Inscrições abertas para o 1⁰ Encontro CONTEC Mulher

Atenção bancárias, securitarias e cooperadas! Nesta sexta-feira (01), a CONTEC vai promover um encontro virtual, somente com mulheres.

Fundos de pensão de estatais têm rombo de R$ 24 bi, e governo vai brecar aportes extras

Os fundos de pensão de estatais voltaram a acumular déficit no primeiro trimestre deste ano, que chega a R$ 24,2 bilhões, segundo...

Datafolha: 1 em cada 4 brasileiros diz que falta comida em casa

Desemprego mais longo preocupa, e Auxílio Brasil chega a 22%, mostra pesquisa Mesmo com a leve desaceleração da inflação...

Entidade avalia ir ao Supremo contra decisão do STJ sobre planos de saúde

O assunto repercutiu no Congresso. Nesta quarta, o senador Fabiano Contarato (PT-ES) apresentou projeto de lei. Entidades ligadas a...