sexta-feira, setembro 25, 2020

Bancário do Bradesco vai receber indenização por dano material com benefício previdenciário

Segundo o colegiado, indenização e benefício previdenciário não se confundem.

A Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho deferiu indenização por danos materiais cumulada com o benefício previdenciário a um gerente de relacionamento do Banco Bradesco S.A. e HSBC Bank Brasil S/A – Banco Múltiplo, em Gravataí-RS. O colegiado entendeu que o empregado adquiriu doença profissional decorrente das atividades que realizava na empresa. Nesse caso,  afirmaram,  a indenização e o benefício previdenciário não se confundem e possuem naturezas distintas.

Afastamento

O Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS)  havia limitado a condenação ao pagamento de lucros cessantes (referentes aos danos materiais efetivos sofridos por alguém em função de culpa, omissão ou negligência) em valor correspondente à diferença entre o valor do benefício previdenciário percebido e a remuneração que ele teria se estivesse tralhando, pelo afastamento em benefício previdenciário. Como a doença profissional foi considerada temporária, os lucros, segundo a decisão, deveriam ser pagos enquanto perdurar o afastamento previdenciário.

Pensão

No recurso ao TST, o bancário alegou a possibilidade de cumulação do benefício previdenciário com a pensão mensal. Segundo o relator que examinou o recurso, ministro Alberto Bresciani, o Art. 950, caput, do Código Civil, estabelece que “[…] a indenização, além das despesas do tratamento e lucros cessantes até ao fim da convalescença, incluirá uma pensão correspondente à importância do trabalho, para que se inabilitou, ou da depreciação que ele sofreu”.

Cumulação

Quanto à possibilidade de cumulação de benefício previdenciário, com indenização por danos materiais, o relator afirmou que essas prestações não se confundem, uma vez que possuem naturezas distintas – uma civil e outra previdenciária -, estando a cargo de pessoas diversas. Considerando, portanto, não haver óbice à sua cumulação, o relator deferiu o pagamento da indenização por dano material, sem o desconto do benefício previdenciário. Processo: ARR-20454-79.2017.5.04.0030

Fonte: TST

Diretoria Executiva da CONTEC

Últimas Notícias

Inscrições para nova turma do Curso Preparatório do CPA20

Já se encontram abertas as inscrições para nova turma do Curso Preparatório do CPA20. Professor Douglas Alves, CEA.

DIEESE Home Office Brasil e UFs

Acesse e leia na íntegra. Clique no ícone abaixo:

Bradesco Teletrabalho Link para Votação

Link para votação https://forms.gle/fLzWiYaCyULbnGCD7 Principais pontos do Acordo Coletivo de Teletrabalho: Definição

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA VIRTUAL

SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS DEVARGINHA E REGIÃOASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA VIRTUALEDITAL DE CONVOCAÇÃOO Presidente do SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOSBANCÁRIOS DE...

Confirmando a informação de que o Itaú pagará a antecipação da PLR dia 21/09 e abono + salários reajustados no dia 25/09.

Os empregados  receberão a antecipação da regra básica e da parcela adicional da PLR. A antecipação da regra básica corresponde a 54%...